RECIPROCIDADE


Um poema de Valéria Brasil Calegari

Se quiser sorriso elástico
venha que te empresto

Se quiser abraço  terno
venha que te oferto

Se quiser belas palavras
eu invento pra você!

Não me venhas com lamúrias
jogar todos seus dejetos

Não sou boca de latrina
nem tampouco aceito restos

Jogue todas as mazelas
no depósito da esquina

Não poluas minha vida
com veneno estricnina

Mas se bem de bem com a vida
e sorriso encantador

Esqueço todos resquícios
e te entrego meu amor


Nenhum comentário:

Postar um comentário