ALÉM DA CAMPINA ◄ JOSÉ DE CASTRO



A vida se estende vasta
Como os trigais do pensamento
A se amarelecer ao pôr do sol.
Contempla a vida enquanto há tempo,
Enquanto as trevas não te assustam
Em noites sem lua, despidas de estrelas.
Contempla a face oculta da utopia
Que almejas em algum não-lugar
Desse mundo de Deus.
A vida é breve e o tempo urge.
Alonga teus olhos para as visões impossíveis,
Perscruta o silêncio dessa tarde que se esvai.
As pedras também se calam
Mas ainda sabem sonhar.
Anjos do azul te espreitam alhures
De onde a última trombeta haverá de soar.
Apura os teus ouvidos.
Há uma canção de esperança que se
Prepara ao longe, nos infinitos que ninguém
Ainda conhece.
Essa voz será o clamor de todos os
que têm  coração de ouro e rubi
E que não se desesperam por tão pouco.
Ainda resta um brilho de prata na espada
Da verdade que jamais se verga ao tirano.
Sim, a vida se estende para além da campina.
Escuta, menina, tu és a rainha dos novos tempos.
Tu és a vida que espreita, ao longe, na campina.
Vigia, ainda, um pouco mais.
Vês? Os corvos voam e se assustam ao teu olhar.
Eles temem a tua luz que jamais se apagará.
A vitória é um dom de quem não se desespera.
E que sabe lutar.


(José de Castro, jornalista, escritor, poeta.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário