A poesia de Joyce Lima


Moço do mar

O moço remou, remou...
Até chegar em alto mar
A tempestade balançou o barco
Jogou água na proa
Encharcou a roupa do moço
Danificou as velas
Mas, o barco não afundou.
O moço chegou à terra firme
Prometendo ao mar voltar.


O menino

Eu vi um menino chorando
De fome e de frio
A fome, o fez padecer.
Do frio, Deus o aqueceu
Depois que chorou
Pelo pão que comeu
E pela vida que não viveu.

Nenhum comentário:

Postar um comentário