BRASIL NA COPA ► JOSÉ DE CASTRO



Não chores, meu filho;
Não chores, que a vida
É luta renhida:
Viver é lutar.
A vida é combate,
Que os fracos abate,
Que os fortes, os bravos
Só pode exaltar.  
(Gonçalves Dias, Canção do Exílio).

No futebol, um dia, fizemos escola.
Hoje, nem à educação se dá bola.
Corrupção, cartolagem, golpe
na democracia, drible no povo
é isso o que rola.
Ainda temos escola...de samba.
E o triste enredo que desfila
na avenida, é o medo que nos assola
de perder cada vez mais aquele brio
que faz um país cantar o seu hino
timbrado de orgulho e alegria.
Longe está o hexa da soberania.
Ainda somos campeões
na venda da pátria.
Não só vendemos chuteiras,
Neymar e outros craques,
mas também a dignidade e o pré-sal,
pais mal temperado na panela
do respeito à dignidade e à soberania.
Assim, não vale.
Mas não chores, meu filho.
É preciso não temer o futuro.
E quando, em outubro votar,
que não seja um salto no escuro.
Mesmo que o Brasil erga a taça
outra Copa ainda falta ganhar
- da democracia verdadeira -
que,  me parece, já está perdida.
Não chores, meu filho.
Aprenda a ler o mundo,
e a sentir o prazer profundo
de ser guerreiro potiguara,
goytacaz, guajajara
timbira, tamoio ou tupi 
que tem no arco a flecha
que não mira apenas o hexa
Que pensa um Brasil maior que a bola,
que tenha escola, educação, saúde e emprego.
E, acima de tudo, soberania e dignidade. 
E que a taça da democracia
seja a herança conquistada na raça! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário