NASSARY LEE BAHAR


O lirismo primaveril da paraense NASSARY LEE BAHAR na Série Poetas da Nova Era
Magnólias

Há muito sonhei com
este vão momento.
Tê-las viscosas no alto
do meu pensamento.
Vê-las a enfeitar o chão,
carregadas ao vento.

-

Itching for your desire.
Restless for your smile.
A sweetiest feeling inside my soul.
Never, please, never say "I must go".

Naught pleasures when you are coming.
Even though, you are just here by my side.
That is enough see you eye-to-eye.
Once more every bright morning.

-

Espiral

Cometa.
Ascendente, tua imensidão me funde.
Atravessa-me no espaço da busca de ti – caleidoscópio.

Temporal.
Tu me consomes em tuas tormentas de desalinho dos planetas.
E depois me deixas sem planeta algum – desabamento.

Mar revolto.
Sacodes e reviras ao meu coração embarcado de desejo.
Na distância de teu bel norte-sul, navegar!

Terremoto.
Nos teus escombros de saudade.
Elimino os barrancos da descoberta escondida.

-

Holocausto de mim

Quando o sofrimento cessar,
Antes eu terei os cabelos cortados e um banho coletivo.
Saberei da utilidade de minhas mãos.
E habitarei uma lista para a liberdade.
Chegarei antes ao campo errado.
Mas a liberdade vai me querer de volta.
Serei trocado por algumas pedrinhas brilhantes.

Nenhum comentário:

Postar um comentário