A poesia de Rosângela Primo



Distraída,
perdeu sua face no espelho do quarto
Em cada reflexo uma promessa
Em cada olhar languido, momentos vagos
vivenciados na noite...

Tem a mania de
transformar amores não vividos em estrelas
Sabe exatamente a localização de cada um.

Colecionadora de sonhos
Criou sua própria constelação

Inatingíveis !

Alguns desapareciam
ela nem tinha tempo de perceber...

A cada dia um novo brilho
Pedaços da noite, estilhaços no chão.

Aprendeu que feridas cicatrizam
E segue pisando firmemente.

A dor não incomoda,

Satisfaz.

Um comentário:

  1. Lindo Poema!
    Vejo a Ro nas linhas tecidas:.
    Forte, determinada e fechou
    com chave de ouro:.
    “ A dor não incomoda,
    Satisfaz.”
    👏👏👏

    ResponderExcluir