SOB O SOM DA VIDA

De ALEXANDRA JACOB

Não pergunte, nada sei
Palavras...
Palavras que decorei...
Tempo...
Palavras de ponteiros agitados,
nada dizem.
O silêncio acontece...
Aprende...
Teus olhos...
Nele cabe o mundo inteiro...
Euforia, Sol, Dia...
Cabe todas as voltas do mundo e nelas cabem as voltas que me levam a você.
Construções...
Retoma o caminhar, morre noite, nasce dia...
Idas e vindas me levam para longe.
Retorno...
Seus olhos refletem meus desejos...
Nesse instante volto a acreditar que tudo é possível.
...Breve olhar, faz o mundo parar e em nosso entrelaçar de mãos entrego me aos sonhos...
O soluçar vinha no olhar...
Que sabia, quando a música que acalma minha alma acabar um grito calado fará nossos corpos queimar
Sob o som da vida cala a chuva, morre o dia, nasce a noite...

Ave Maria!

2 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Não tenho palavras pra te escrever em agradecimento por esse poema maravilhoso que compartilhas conosco são suas emoções que me emociona abrigada querida Alexandra

    ResponderExcluir