ÚLTIMO GOLE DE CAFÉ • DE DAVID MOURA


Deixa-me, pelo menos, antes de partir.
Tomar mais um gole do meu café:
Ele concentra os dogmas da fé
Que daqui pela frente vou seguir.

Permita-me, também, que vá a pé,
Assim como uma espécie de faquir,
Para incansavelmente prosseguir
Às portas de um triste cabaré.

A Glória neste mundo é transitória
E a estultícia leva cara séria,
Basta consultar a história:

Os mais pedantes egos corrosivos
Estão afundados na grande miséria.
Do Calvário em que estão os seres vivos!




Um comentário: