TRÊS POEMAS DE MARCIA CASTILHO


SE O TEMPO SE ESGOTA MUDO

Se o tempo se esgota mudo
Não sou eu que vou falar
O tempo
Senhor e algoz da razão
Sábio de todas as horas
De todas as eras
Criador dos sentimentos
Dono da medida certa
Da paixão acesa
Da saudade enferma
Da ferida aberta
Da cicatriz seca
Do sim e do não
Do bem e do mal
Se o tempo se esgota mudo
É porque já não há nada
A se acrescentar


TE AMO

Se eu tivesse força para revelar um segredo
Para reencontrar meu eixo
Levantar da cama
Pisar no terreno
Me tornar soberana
Me livrar dos medos
Te encarar nos olhos
Gritar sonoro
Te amo!
Arriscar um segundo
Na vida humana
Mesmo que seja
Por um ledo engano.


1, 2, 3...

Três sonoras pancadas
Aparam todas as lembranças
Não há mais som...
Não há mais luz...
Nem mesmo um brilho de olhar.

Três segundos ligeiros
Três pingos certeiros
Foram suficientes para aniquilar...

O amor da gente
De chocolate e brinquedos
Tudo tão ligeiro...
Acontecendo no instante de um respirar.


Nenhum comentário:

Postar um comentário