SOLIDÃO • DE PAULA BELMINO


Ando cansada de despedidas!
Esse viver triste
essa agonia do adeus
o abandono a furtar minh' alma.
E quando encontro o amor
escorregadio escapa entre as mãos,
só estão comigo
dia e noite
as lágrimas de saudade
dessas amizades que se vão;
Não quero amigos distantes
a falta do abraço e da voz
é angústia que minha alma não supera.
Já ando farta de estar a sós.
Ando cansada de partir
tentando me encontrar noutras faces.
E quando uma mão me acalenta
me engana e se vai.
Ando cansada dessa vida sem paz
desses amores distantes
e dos amigos que partem 
e não voltam mais.

2 comentários:

  1. Solidão na alma dói. Ainda bem há a poesia pra dar asas e libertar.

    ResponderExcluir
  2. Solidão é diferente de solitude. Solitude é uma atitude que busca o estar só para construir algo, para estar em paz consigo mesmo. Solidão é quando o estar só incomoda. Solitude é reencontro consigo mesmo... Um abraço, amiga... (um belo poema, sem dúvida... expressou bem um sentimento que nos afeta a todos)... Nada como um bom abraço presencial, forte, aconchegante...

    ResponderExcluir