TRÊS POEMAS DE (AL2R)

A verve do Poeta  ANDRÉ LUIS RIBEIRO RODRIGUES (AL2R)

PARA ONDE VÃO TEUS OLHOS?

Para onde vão teus olhos
quando não estão por perto?
Qual o alcance da tua visão?
Dobram esquinas?
Pegam atalhos?
Desviam retas?
Invadem lugares?
Beiram
inevitáveis precipícios?
Beijam
insones lembranças?
Formam
coágulos de esperança?
Esperas,
esparramam-se sobre
império de saudade?
Espera
em lugares não habitáveis
depois deleita no horizonte?
Onde,
onde vão teus olhos vazios?


O ENCANTADOR DE VENTOS

...o essencial
 para se tocar
 um vento
 ou ventania
 está na sensibilidade
 de um mergulho
 adentro...

O vento
 só se encanta
 em dia par
 dentro dos minutos
 das horas ímpares,
 a ventania
 ao contrário,
 só se encanta
 em dia impar
 dentro dos minutos
 das horas pares...

Já diante
 da total,
 repito
 total,
 natureza
 do tempo,
 levo as mãos
 e o rosto
 ao céu,
 fecho os olhos
 e ilumino-me
 de claridade
 de sol
 ou lua,
 procuro a sintonia
 com a sinfonia
 das folhas
 das árvores
 centenárias...

Senti um pingo
 de encanto no rosto,
 acho que hoje,
 vai chover brisa...


OLFAÇÃO

...o cheiro da gente
é convincente,
junta-se ao todo
e sente.

O cheiro da sede
sente-se
no desejo do ser
em sê-lo.

O cheiro que se senta
acentua e sobressai
a essência de sermos
qualquer outro cheiro nu,

e os cães,
 sentem o cheiro do medo?

Tudo,
 que não se pode
ou não se deve
chega até você,

vem do cheiro
que você exala,
vem daquele cheiro
que você deseja
ter em mãos;

e teus olhos de luz
tua boca-palavra
pedem cheiro,
tua vagina-ventre
teu pênis-semente
pedem cheiro,
teu corpo-alma
teu ser silêncio
pedem cheiro,
teu anjo e demônio,
pedem cheiro...

na alegria ou na tristeza,
na saúde ou na doença,
na riqueza ou na pobreza,
até que a morte nos separe
do odor-vivo deste mundo,
tudo 
em vazio ou cheio,
pede cheiro...

Nenhum comentário:

Postar um comentário