TODO ROMANTISMO DE S. QUIMAS


Já não me cuido de mais nada,
Pois tu és certamente, e para sempre serás,
A minha mais segura estrada.

Tu és a divina promessa feita,
Joia rara com que me presenteou,
Luz que ilumina meus passos,
Porto seguro com que me abençoou.
És o meu repouso,
O que me alimenta
E faz prosseguir.

Sombra que me acolhe,
Água que me sacia a sede.

Mais que meu próprio corpo
És o que veste minha alma.

És o meu sonho e o devanear
E por completo a minha realidade,
Pois tu és todo o meu sentimento e a razão.

És o que és completamente
E tudo isso já me basta:
Infinito, eternidade, o universo inteiro.
És, como Deus para mim... Absoluta.


Por ti só meu todo amor somente,
Todo o meu alento,
A minha toda respiração.
Por ti minha vida inteira,
Por completo meu coração.
Por ti eu mesmo
E por completo o meu ser.
Por ti minha poesia
E toda a minha arte.
Por ti todo este momento,
Assim, este exato instante
E além, toda a eternidade.


Eu tenho assim as minhas esquisitices,
Meio louco e escancarado poeta,
Artista, ou o que seja lá isso.
De tudo o que sou não posso sabê-lo,
Mas do que sou. Ah! Sou.
Sou o que te ama para vida e morte,
Aquele, que sorte, não trouxe privilégios,
Aquele que cometeu sacrilégios,
Mas sou a mim completamente,
Quem te ama e te amará,
Simplesmente por que ama e amará.
Teu poeta, assim tão somente, teu... Poeta.
Aquele que nas madrugadas
E no dia te faz poesia
Que jamais serão ouvidas por ninguém mais.
Porém, também homem por inteiro,
Pois a ti completamente pertenço,
Não por posse, contudo, por todo consentimento.
Tu não és, pois ser não diz completamente
O quanto do amor existe em mim por ti.
Tem horas que minha poesia é insuficiente
E lastimo a pequenez das palavras
Para te dizer o quanto te amo.
Desculpe o poeta,
Faz ele poesias,
Mas jamais vai traduzir em suas palavras
O imenso amor que não se traduz
Por todas elas.

Ainda assim insisto:
Amo-te apaixonadamente,
Assim simplesmente.

Um comentário: