SAPARIA

Para abrir as homenagens do Dia das Crianças, o poema SAPARIA, de CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

A saparia desesperada sapo
coaxa coaxa coaxa.
O brejo vibra que nem caixa
de guerra. Os sapos estão danados.

A lua gorda apareceu
e clareou o brejo todo.
Até à lua sobe o coro
da saparia desesperada.

A saparia toda de Minas
coaxa no brejo humilde.
Hoje tem festa no brejo!

Nenhum comentário:

Postar um comentário