HOJE NÃO

Um poema de LILI RIBEIRO

Hoje eu sou criança
que bom!
Adoro ser assim
-criança.-

Sempre que posso
trago de volta
a eterna criança que existe em mim.
mas não quero pensar na vida

mil versos de amor
Eu queria compor
Mas agora não, pois ela dói.
Sim!
A saudade dói e eu choro!

Você me faz voltar a ser gente grande.
Embale o meu pranto e guarde em seu peito.
lance o teu olhar nas estrelas
e veja que o branco da paz ilumina
esta aveludada tez que me fascina.
faz-me levitar e sentir o aroma das flores .
tens um sorriso largo e isso é bom.

Sinta o cheiro variado destas cores
ficarei lendo você no exalar do seu perfume
Rosas, gerânio e Jasmim.
Admirando-te, natureza perfeita.

O brilho dos teus olhos
enfeitou a escuridão que outrora vivi.
Hoje joguei meu olhar no horizonte
e busquei o infinito.

Senti em minha fronte o mundo todo tremer
continuei a olhá-lo para ver se te encontraria.
lapidei o meu interior pra te acolher.

Não, não vá!
Espera o sol chegar.
não me deixe assim,
é cedo ainda.
não deixa que a noite finde.
Lili Ribeiro
para que eu possa com volúpia te abraçar.
nunca te abandonarei.

Escuta o silencio com inveja de nós dois.
somos perfeitos
feitos um para o outro.

Sinta o olhar da lua a nos observar.
As estrelas se encantam
ao te ver passar.
Feito cometa apressado
te digo, sou teu amado
e vim te buscar.

Nunca te esquecerei
jura que entende e guarda para mim,
o seu doce amor.
Eternizei em meu coração
como se fosse oração
o nosso hino de amor
cantado até pelos pássaros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário