FUI AO RIO...

Um poema do poeta argentino JUAN LAURENTINO ORTIZ, O JUANELE

Fui ao rio, e o sentia
perto de mim, em minha frente.
Os ramos tinham vozes
que não chegavam até mim.
A correnteza dizia
coisas que não entendia.
Quase me angustiava.
Queria compreendê-lo,
sentir nele o que dizia o céu vago e pálido
com suas primeiras sílabas alongadas,
mas não conseguia.
Voltava
— Era eu quem voltava? —
na angústia vaga
de sentir-me sozinho entre as últimas e secretas coisas.
De repente senti o rio em mim,
corria em mim
com suas margens trêmulas de sinais,
com seus reflexos fundos, apenas estrelados.
Corria o rio em mim com suas ramagens.
Eu era um rio no anoitecer,
e suspiravam em mim as árvores,
e a vereda e as ervas se apagavam em mim.
Atravessava-me um rio! Atravessava-me um rio!

Um comentário: