DA SÉRIE HOMENAGEM AO DIA DAS CRIANÇAS

Três poemas infantis... Nesta sessão com os Poetas CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE, PEDRO BANDEIRA e VINICIUS DE MORAES
CIDADEZINHA QUALQUER
CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Casas entre bananeiras
mulheres entre laranjeiras
pomar amor cantar.

Um homem vai devagar.
Um cachorro vai devagar.
Um burro vai devagar.

Devagar… as janelas olham.

Êta vida besta, meu Deus.


PONTINHO DE VISTA
PEDRO BANDEIRA

Eu sou pequeno, me dizem,
e eu fico muito zangado.
Tenho de olhar todo mundo
com o queixo levantado.

Mas, se formiga falasse
e me visse lá do chão,
ia dizer, com certeza:
— Minha nossa, que grandão!


A PORTA
VINICIUS DE MORAES

Sou feita de madeira
Madeira, matéria morta
Não há nada no mundo
Mais viva que uma porta

Eu abro devagarinho
Pra passar o menininho
Eu abro bem com cuidado
Pra passar o namorado

Eu abro bem prazenteira
Pra passar a cozinheira
Eu abro de supetão
Pra passar o capitão

Eu fecho a frente da casa
Fecho a frente do quartel
Eu fecho tudo no mundo
Só vivo aberta no céu!

Nenhum comentário:

Postar um comentário