DA SÉRIE HOMENAGEM AO DIA DAS CRIANÇAS

Três poemas infantis, nesta sessão com os poetas PAULA BELMINO, DORINHA TIMÓTEO e ÁLDRISON ARAÚJO
PIPA
PAULA BELMINO

Vê a criança e sua criação:
papéis coloridos
e uma linha na mão
com varetas e cola
num losango se forma :
a pipa, o papagaio ou pandorga.
Corre a criança com o vento
só pra ver o brinquedo subir
e fazer estripulias no céu
voar sem saber onde ir.
Toda vez que a pipa alça voo
a criança voa também.
Quer desvendar os mistérios d' além,
Viajar na imaginação.
Sobe a pipa, o papagaio ou pandorga
e brincando a criança voa
livre e leve pela imensidão.
  
                  💐 💐 💐
  
GARATUJANDO*
DORINHA TIMÓTEO

Garatujando,
O menino a casa toda rabiscou.
E, assim, garatujando
Um pedido, o menino elevou.
Pediu ao Anjinho da Guarda.
Pediu à vovó e ao vovô.
Uma companheira para as rabiscadas.
E não é que Papai do Céu mandou!!!!
  
*Aos netos William e Bella
  
                  💐 💐 💐
  
TERRA DA CRIANÇA,
O TEATRO DAS ALEGRIAS
 ÁLDRISON ARAÚJO
  
É a Terra o belo palco,
Para uma criança encenar.
Com o sol faz um arco
E deixa por entre bolhas de sabão a luz passar.

Brinca com a terra,
Fazendo castelos e impérios.
Joga as flores para cima
Como se fossem fadas.

Deixa o corpo sujo de alegria, amor e lama,
Quando se permitem nadar no mar da chuva,
E escuta a vida dizer que ama
E que ter crianças cai bem a ela como uma luva.

Por fim, concluindo a peça que tanto ensaiam,
Conseguem acabar com os conflitos dos homens
Com um sorriso alado que voa por toda a Terra
Num eterno imaginário.

É a Terra das crianças
Que inspiram o fantástico,
O incrível, o belo e o perfeito.
É uma eterna peça de teatro,
Tudo nela é doce, puro e verdadeiro.


Nenhum comentário:

Postar um comentário