A VOLTA

Um poema de NILDINHA FREITAS

Eu fui um milhão de vezes
Sem saber para onde eu estava indo.
Eu andei nas estradas mais escuras
Menos seguras
E me segurei para não desistir.
Eu fui
Mas foi quando eu voltei
Que me encontrei.
Quando voltei a ser mãe
Quando voltei a ser o amor perfeito
Sem ter que viver loucamente
Quando voltei
Foi que me senti de novo gente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário