A POESIA MINIMALISTA DE PAULA BELMINO


voam pássaros
levam a esperança
sonhos nas asas


As borboletas
Metamorfoseiam
a minha alma.


O céu me ri
num sorriso fininho
de lua nova.


E de repente
A luz desabrocha na
flor amarela.


Do amor
Em aquarela
As sensações mais belas
Feito luz a iluminar
E irradia em nós a calma
Nada mais é preciso,
Se se tem
Uma flor amarela
na janela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário