SETE POEMAS

Do Poeta natalense DANIEL BEZERRA

ESQUECER VOCÊ

Dissimulei minha dor sofrida
Dei novo rumo aminha vida
Sarei todas minhas feridas
E não mais falei desse amor
Fiz do silêncio o meu refúgio
Deixei os sonhos reprimidos
Trancados na gaveta lá fora
Decidi te tirar da minha vida
Apaguei da minha memória
Todas as lembranças vividas
Rasguei todas as fotografias
Para não mais lembrar você
Resolvi seguir outro caminho
Que antes nós caminhávamos
Dos seus beijos eu fiz utopias
E assim vou levando essa vida
  
      💐💐💐
  
QUANDO

Quando você foi embora
Deixou um imenso vazio
Agora já não existe mais
Essa ternura e esse calor
Uma tristeza me invadiu
Eu fiquei assim sozinho
Recordando esse amor
E a falta do teu carinho
Aqui estou recordando
Toda essa nossa união
Por isso fico chorando
Curtindo essa solidão
E essa maldita solidão
deixou sofrendo esse
meu tão triste coração
Porque foste embora

      💐💐💐
  
SINTO TUA FALTA

Sinto falta do calor de sua pele
Sinto falta desses seus lábios
Sinto a falta de sua presença
Que me faz um louco precoce
Sinto muito falta, mas imagino
A doçura dos seus lábios doces
Que deixaram imensa ternura
Mesmo sendo em pensamento
Ficou estampado em meu rosto
O intenso desejo de poder sentir
Os seus beijos e seus carinhos
Que sonho e desejo te encontrar
Nas noites de lua olho pra o céu
Sonho te encontrar numa nuvem
Para que possa ficar te olhando
Esperando o sonho acontecer
  
      💐💐💐
  
AINDA TE AMO

Sabe, nunca te enganei,
não faltei com a verdade,
nunca agi com falsidade,
meu amor por ti era real.
Meu carinho era sincero,
era mais do que o prazer
nunca pensei te enganar.
respeitei seu sentimento
Sonhava com seus beijos,
e o meu maior desejo era
ser teu, te amar e te amei
e esse amor não morreu.
Mas apesar da distância,
e dessas circunstâncias,
eu ainda amo muito você,
meu ser não te esqueceu.
  
      💐💐💐
  
COMO UMA LOBA
  
Chegou bem mansinha
Em minha vida penetrou
Conquistou meu coração
E acabou toda minha dor
Com uma grande volúpia
Fez meu corpo despertar
Aguçou a minha vontade
De teu corpo eu desejar
Como uma loba faminta
A minha boca devorou
Fez do meu corpo casa
Transbordando de amor
O nosso corpo cansado
Da nossa noite de amor
Jogados sobre a cama
Nossas roupas no chão
  
      💐💐💐
  
QUEM SABE

Amo-te em silêncio,
quieto, eu te espero
te quero toda inteira
assim fico sonhando
Quero pegar tua mão
e caminhar contigo
por todos caminhos
sem temer a solidão
Tempo passando eu
esperando, sonhando
desejando, brincando
de amores e estou só!
Quem sabe, amanhã,
num milagre de amor,
possa dizer ao mundo
que toda a dor acabou

      💐💐💐
  
ESQUECER VOCÊ

Dissimulei minha dor sofrida
Dei novo rumo a minha vida
Sarei todas as minhas feridas
E não mais falei desse amor
Fiz do silêncio o meu refúgio
Deixei os sonhos reprimidos
Trancados na gaveta lá fora
Decidi te tirar da minha vida
Apaguei da minha memória
Todas as lembranças vividas
Rasguei todas as fotografias
Para não mais lembrar você
Resolvi seguir outro caminho
Que antes nós caminhávamos
Dos seus beijos eu fiz utopias
E assim vou levando essa vida

 
DANIEL BEZERRA é Professor de Língua Portuguesa, Bacharel em Direito e, segundo ele,  POETA por acaso. Nasceu em Natal e não conhece outra cidade melhor para se morar. A poesia entrou em sua vida por acaso. Escreve versos para falar de momentos bons ou mesmo ruins, vividos ou mesmo inventados. Fala da vida, do amor e também da saudade.
  

Nenhum comentário:

Postar um comentário