MÚLTIPLA

Um poema de FLÁ PEREZ musicado por CICINHO BONNEGES 



Quem não me conhece
que me compre desse jeito:
tenho várias em meu peito.

Chame do que quiser
– bipolar, duas caras,
sem caráter, mascarada–
sou como toda mulher:
dividida, somada,
diminuída,
multiplicada.

Quem te responde
– a cientista, a professora,
a cantora de bordel
a escritora, a dançarina,
a assassina de aluguel
a mãe que se preocupa,
a menina assustada,
a mulher amada
experiente prostituta –
depende da pergunta.

Quem silencia
no amor que morre
ou principia,
a que blefa ou a que aposta,
depende da resposta.

2 comentários: