ITABIRA

Um poema de CARLOS DRUMMOND DE ANDRADE

Cada um de nós tem seu pedaço no pico do Cauê 
Na cidade toda de ferro 
as ferraduras batem como sinos. 
Os meninos seguem para a escola. 
Os homens olham para o chão. 
Os ingleses compram a mina.

Só, na porta da venda, Tutu caramujo cisma na 
derrota incomparável.

Nenhum comentário:

Postar um comentário