A VERVE DO PRÍNCIPE DOS POETAS

A poesia do mestre GUILHERME DE ALMEIDA

CONSOLO

A noite chorou
a bolha em que, sobre a folha,
o sol despertou.



OS ANDAIMES

Na gaiola cheia
(pedreiros e carpinteiros)
o dia gorjeia.



PESCARIA

Cochilo. Na linha
eu ponho a isca de um sonho.
Pesco uma estrelinha.



ROMANCE

E cruzam-se as linhas
no fino tear do destino.
Tuas mãos nas minhas.



O HAICAI

Lava, escorre, agita
a areia. E enfim, na bateia,
fica uma pepita.


Nenhum comentário:

Postar um comentário