VAMOS COMER POESIA? (cardápio poético em quadras) ♣ JOSÉ DE CASTRO



Por JOSÉ DE CASTRO

Um franguinho com quiabo
é almoço de domingo:
devoro e quase me acabo,
e depois fico sorrindo.

Eu adoro uma empada,
fonte de muito prazer,
e depois da galinhada
os meus dedos vou lamber.

Tem também macarronada
e o virado à paulista,
papo de anjo e goiabada
não posso perder de vista.

Feijoada é uma iguaria
com sabor bem carioca.
Em Natal a alegria
é ginga com tapioca.

Se está faltando aqui
u’a comida de Goiás:
tem o arroz com piqui,
é gostoso até demais.

No Pará tem carimbó,
mas também tem maniçoba.
E em Minas, bom que só
é o gostinho da taioba.

E o que falar do gaúcho,
chimarrão e coisa e tal?
De churrasco enche o bucho,
numa festa tri-legal.

Na Bahia, o abará,
tem também acarajé,
camarão com vapatá,
frio ou quente se quiser.

Pão de queijo das Gerais
é bom de se degustar.
Couve, torresmo, quer mais?
Tem a broa de fubá.

Tá faltando aqui pirão
e a gostosa caldeirada
que vem lá do Maranhão,
iguaria caprichada...

Tem xerém, tem peixe frito,
galinha de capoeira,
tem muito prato bonito
nessa terra brasileira.

Se faltou o seu Estado,
traga a sua boa nova.
Desde já tá convidado,
bote a comida na trova.


José de Castro, jornalista, escritor e poeta. Autor de MEU AMIGO PALADAR, em parceria com o poeta Antônio Francisco (Natal: Comunique Editora, 2016). Contato: josedecastro9@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário