SOLIDÃO ♣ UM POEMA DE ARMANDO DUARTE


Eu vivo triste, e eu me entristeço
Quando às vezes precisava seguir
O caminho que eu queria ir
Procuro sem saber e até me desprezo

A solidão... é a magoa constante
Emocionalmente sem alegria
Da forma que como eu não queria
Dos passos da minha alma desertante...

E se soubesse ao menos uma vez
De um imperdoável perdão
Dessa humilhação que me fez!!!

Para isso quero aquilo então
A felicidade para cada mês
Entre o abraço e um aperto de mão!!!


ARMANDO DUARTE

Natal, 20 de Janeiro de 2016


Nenhum comentário:

Postar um comentário