SETE POEMAS

Sete poemas do poeta alagoano CHARLAN FIALHO


POEMA DE ONTEM

Escrevi seus versos
Com tinta do monte Carmelo
E os deixei em cima da mesa

No jantar da sala
O poema arejava
Os quatro cantos da casa

O adornei com rimas saborosas
Caprichei nas estrofes ortodoxa
Ataviei-o de poesias

Não me lembro que inspiração tomei
Que verbos usei
Mas sei que ontem esse poema
Me fez ser alguém   
     
      💐💐💐
         
O AZUL DO MEU CORAÇÃO

Gosto do azul do céu
Mas curto mais o seu beijo de mel

O azul é a cor mais quente
Mas seus beijos me aquecem e me deixam contentes ...

Admiro o azul do mar
Mas amo me molhar em seu paladar, seu modo de amar

Vestir-se de azul reluz autoestima em mim
Mas prefiro declarar esse amor
Em forma de serenata
Só pra te fazer feliz

Torço muito por meu time azulão
Mas me alegro com suas mãos em meu coração

O azul faz parte de mim
Mas me destaco quando sinto você aqui perto do meu clarim
  
      💐💐💐
  
POBRE DE MIM

A solidão deixa-me carente
Pirado com medo de sofrer
Confuso com os dissabores da gente
Sem caminhos pra viver

Bloqueia-me sem razão,
Me deixa na contramão da emoção
Deplorado, jogado no chão

A escuridão sobressai como uma ponte no horizonte
A separação outorga esse descontrole de amar
Não irei mais adiante, queira assim flutuar
Sem conter as lágrimas de uma equação de saudade

Me sinto um delinquente sofredor
Aleijado no amor
Falido sem pudor
E quando me procuro
Não me encontro sequer um segundo
De destreza vou vivendo
Nesse amor enlouquecendo

Pobre de mim que chora sem exageros
Que se perde no tempo
E tropeça nesse vale de amargor
  
      💐💐💐
  
MEMÓRIAS

Memórias são apenas memórias
São prosas
Árvores caprichosas em uma vastidão
São canções perplexas
Aquarela, Ana Julia, Amélia

Memórias não machucam tanto
Quanto um mundo sem encantos
São flores de uma prole de valores

Às vezes se tornam dissabores
Causam solidão
Mas recalcam o coração
São fadas sombrias
Cascatas que ornamentam a emoção
  
      💐💐💐
  
BEIJAR-TE

Eu sou algodão doce
Banhado de mel
Num jardim sem cor,
Aprecio seu favor
Não nego meu desejo de beijar-te

Nas paisagens lindas do horizonte
Quero ser teu amante
Para ninar este desejo
Que me veste de confeitos

Pintar nosso jardim
Com tendências afins
Com flores paradisíacas
Aspirar seu perfume cetim  
  
      💐💐💐

A FADA
(Paródia do poema A CASA, de Vinícius de Moraes)

Era uma fada muito invocada
Não falava sério, não se arrumava
Ninguém podia confiar nela não
Porque seus poderes não tinha não

Ninguém podia cantar contente
Porque a fada pirava com a gente.
Ninguém podia sonhar; ser feliz!
Porque seu feitiço não tinha ali
Mas era meiga como um mundo sincero
Gostava de todos, agitava o verbo
  
      💐💐💐
  
POEMA DE AMOR
                                                                                                                            
O que eu sinto por você não sei explicar
Me dá calor, tremor, calafrio                         
Mas sei o quanto meu coração quer te amar
                       
Faz-me apetecer esse sentimento
Que nos une a cada momento                       
Que nos mostra a luz do amanhecer
Que refulge ao passar do tempo

Quero acordar com seu amor a me amolar
A sentir seu respirar
Correr pelas areias do mar
E escrever na beira do mar o amor que corre nas veias

Olha-me, convida-me a lhe amar
Faça-me sentir metade de mim em você
Contagia-me, bem querer de alegrias
Meu coração só pensa em te amar

Arranja-me como uma partitura diserta
Coloca-me em suas portas
Em seus sons de gazela

Não quero explicações
Careço de suas dimensões
Seus traços incríveis
Que me postem repiques

Confina-me, amor, assim sem dó
Sem receios de chorar no tempo
Recita-me como um poema de amor

 ♣

CHARLAN FIALHO nasceu na cidade de Piaçabuçu/AL em 1981. É professor de jovens e adultos e leciona música no projeto do estado, o novo mais educação. Concluiu a licenciatura em pedagogia com habilitação em gestão educacional em dezembro de 2015. Em junho de 2010 foi eleito conselheiro tutelar onde exerceu a função até janeiro de 2016. Atualmente é estudante dos cursos de Direito e Licenciatura em música. Adora produzir textos literários que expressem sentimentos, tipifiquem a arte, a poesia de modo geral e natural. O desejo pela escrita sempre carregou em seu coração. Se dedica a escrever aquilo que desperta a imaginação e acredita que a inspiração é a base de apoio que o faz poetizar. 


Um comentário:

  1. Eu vejo a poesia como algo deleitoso. Quando leio poemas; onde percebo a alegria dos vocábulos na constituição dos versos; até minhalma regozija-se. Parabéns Charlan Fialho.

    ResponderExcluir