SETE POEMAS DE PAULA BELMINO


Asa de borboleta

Na asa da borboleta
voa a primavera
um elo entre rosa e amarelo
recortes geométricos
liberdade celestial
Na asa de leve bordado
flores ancestrais
um tempo eterno
de segredos e impressões
Na asa da liberdade
uma borboleta vai ao encontro
de sonhos do amor
Voa em busca da paz!



Bem- te-vi

Eu vi
um bem-te- vi
de terna cor
No bico o hálito
de vida
de poesia
suspirando sobre a flor .
Eu vi um bem-te- vi
cantando nostalgia
morrendo de amor!


Um Monstro

Eu vi um monstro
feio, peludo, cabeludo.
Me assustei...
gritei,
 chorei,
esperneei...
Ele teve medo de mim
berrou...
pulou,
se arranhou.
Eu tive medo dele também!
Depois do susto
ele saiu,
fugiu,
Sumiu!
E eu logo acordei
Cadê o monstro que estava aqui?
Era só um pesadelo
Foi um sonho que sonhei.


Pirilampo

À noite  uma luz
alumia.
Lume.
Pequena luz
de vaga-lume.
Irradiando  ternura
Como quem fagulha
magia e curiosidade
pirilampia
luzes e apagamentos.
Rompe-se o silêncio
e na noite em fúlgida luz
o vaga-lume
ilumina a alma
escuridão se acaba.


Bolhas


Copo e canudo,
um pouco d' água e sabão,
e eis aí a bolha
que borbulha
leve pelo ar
como folhas a bailar.
Molha a mão da criança
Depois voam com o vento
com as folhas,
as coloridas bolhas
encantando o olhar.
Bolhas de sabão,
pedaço da infância
que quando se vê
acabou de estourar.


O menininho azul


O menino azul
gosta de adivinhar o tempo
assobiar passarinhos
engatinhar com os bichinhos
e colher borboletas.
O menino azul é todo alegria
seus olhos ativos
duas avelãs a saltar no riso.
Verte os mais belos encantos
seu cheiro suave acorda as manhãs.
O menino azul brinca o dia inteiro
o que mais gosta é apontar estrelas
murmurar ao vento
fiar poesia
descobrir a vida a engatinhar
em seu pequeno caminho.
O menino azul é pleno céu de primavera
quer só mil abraços
e as estrelas mais belas
voar de avião, brincar com as nuvens,
cantarolar e ouvir histórias que lhe ensinem o amor.
O menino azul
é como um pequeno pássaro livre no ninho
que logo cresce e bate as asas
e se mistura ao céu num longo voo
Todo azul, um amor de passarinho
em busca da flor,
ou de alguma estrela que se encantou.

Chuvinha Pinga Pinga


Plinc plonc
Plonc plinc
Uma cantoria sem fim
Chuvinha fina
lá fora os sapos
coaxam no jardim.
Plinc  plonc
plonc plinc
Um coral de
pingos de chuva
as flores sedentas se abrem
trazendo poesia e vida
chuva de fim de tarde!
Plinc Plonc
Plonc plinc
Chuva a dançar
corre e forma riacho
molha a calçada
banha o mato
deságua entre as pedras
é doce fonte a cantar.
 Plinc plonc
Plonc Plinc
fininha a chuva no telhado
doce  melodia
um coral afinado.
Plinc Plonc
Plonc Plinc
Névoa e sereno
pinga pinga
alegrando o dia
a chuva de prata.
Plonc plinc
Plinc plonc
chuvinha calma
de gota em gota se faz
lagos, rios, riachos
Banhando os dia de paz
Plinc plonc
Plonc plinc
chuvinha molhando a terra
germina as sementes
alegra as crianças
e a alma também floresce
de fé e esperança.




 Paula Belmino


 

Minibiografia
Paula Belmino, 42 anos é natural de Lagoa Nova RN, formada em Pedagogia
pela UFRN com especialização em Psicopedagogia, escreve o blog Poesia do
Bem e já tem textos publicados em livros didáticos, e em antologias como:
Textos seletos_ Pensata RJ-2008
Livro de família Editora All Print-2008
 Bem Poesia-Editora Delicatta,SP- 2017
Antologia Casa da Poesia volume 3 -SP- 2017
Antologia Janelinhas literárias .Editora Becalete SP
Além de textos publicados em livros e revistas , sites a autora desenvolve um
trabalho constante com a poesia nas escolas na cidade onde reside, e também
como voluntária na biblioteca municipal, lê nas praças, ruas, incentivando
sempre a leitura e o amor pela poesia...


Blog https://paulabelmino.blogspot.com.br/

Recanto das Letras/Paula Belmino
contato belmino.paula@gmail.com
(84)999562821


5 comentários:

  1. Viver a eterna poesia da vida e brincar, aprendendo sempre

    ResponderExcluir
  2. Que legal, Paula! Poemas alegres e coloridos! Parabéns! Zezinha Lins

    ResponderExcluir
  3. Os Poemas da Paula são belíssimos. Aplausos e muito sucesso,

    ResponderExcluir