HOMENAGENS À CIDADE DO SOL

O Poeta JOSÉ IVAM PINHEIRO homenageia a cidade do Natal
Imagem • Ricardo Morais
AMOR NATAL

Teu olhar
Luz da paixão
Bateu no meu coração
Como um ritmar de xote
Xaxado, frevo ou baião.
  
Querubim
Anjo assim musical
Iluminou bela estrela
O teu sorriso, a beleza
Das praias e dunas de Natal.
  
O teu corpo
Mistério dos oceanos
Praia e sol do lindo Atlântico
Doce brilho terno e quântico
Ontem e hoje, 400 anos
Feli(z)cidade te quero tanto.
  
Tua voz
Só leveza de sedução
Som encantado de emoção
Brisa e vela do rio norte
Se fez num marco o Forte
Junto ao Potengi e o mar desta canção.


NATAL DO MEU CORAÇÃO

As xananas soltas correm floreantes 
pelo potiguar chão.
Forte estrela que indica - Reis Magos
à nascer minha terra.
Amor tão Potengi traz rio navegante,
cá no meu coração. 

E Careca, duna dos ventos é o afago.
A Ponta Negra espera
o (re)canto felicidade.
Linda baby na esquina do meu Brasil.

Meu coração se longe, pulsa saudade
por ti, Oh! Minha cidade.
O meu bem-querer é Iara.
- Sereia praieira, meu amor e céu anil.

Aqui é brisa na cara.
Hospitalidade cordial e alegria reluz.
Rosário e pôr-do-sol,
(a)mar meu lugar, vida em alto astral.
Natal do meu coração,
bênçãos de N. Sra. da Apresentação.

      💐💐💐
  
NA VARANDA DO ATLÂNTICO

                         Dedicado à amiga
                         Maria Virgínia Ferreira Lopes.
  
Na varanda do Atlântico
surge a beleza
como um cântico que canta Natal.
O astral da natureza,
o sol da mágica alegria,
a poesia do mar na noite contagia,
banha de luz este litoral.
Ternura de uma paisagem linda que há.
Sublime êxtase que sopra do mar.


Varanda do Atlântico.
Aqui no meu lugar
brisa sopra e é puro o ar
que cativa turistas.
Tua história é o berço de artistas,
magia de praias de águas lindas.
No Potengi toda a história,
arte e cultura de um povo.
Natal, sonhar de luz e glória.
  
Varanda do Atlântico.
Aqui no meu lugar,
eu semântico me planto em teu luar.
E sou o puro ar nas veias tuas,
em plena lua, meu ser brilha no teu véu.
Nas dunas da tua felicidade,
beleza de quântica claridade.
Linda aquarela de desejos pinta pelas ruas.
Tantos e quantos mortais seduzes com teu céu?
  
Da varanda do Atlântico
tenho o privilégio da visão
do sol adentrando as janelas do coração.
Dourado ouro bronzeando corpos aqui
na praia dos artistas.
E no alcançar da vista
das margens distantes do rio, 
visão de jangadas no Potengi.
Imenso e intenso encanto oceânico.
  
Da varanda do Atlântico
belíssima vista de tantas janelas.
Onde estará a aura que provém dela?
- Ela, minha musa e tão linda sereia.
Busco ao norte na silhueta do Forte,
ou ao sul em Mãe Luiza no alumiar do Farol.
Pulsa nas retinas dos meus olhos o pôr do sol.
Pedra do Rosário, ou em encantadas praias do Sul ou Norte.
Bem sei, que a minha solidão é momentânea como a lua cheia.
  
      💐💐💐
  

BEM-VINDA SEJAS, LINDA BABY


Bom dia
Alegria e sol lindo
De manhã
Sorriso de luzir tesouro
Na beleza de Jacumã
Meu amor vale mais ouro.


Boa viagem
Te ofereço
Forte
Encanto deste mar azul
Farol das luzes
Maracajaú.


Boa Tarde
Amor que bronzeia
Sereia
Potiguar é a poesia
Lumiar que semeia
Tibau de coloridas areias.


Linda Paisagem
Tem o sul e o norte
Nordeste
Ar puro em um céu tão blue
Natal, beleza das dunas
Genipabú.


Boa Noite
Linda baby amada
Eis o lual
Potengi  e o mar banha Natal
A brisa sopra e cobre a estrada
Enluarada é a volta da jangada.


Boa viagem
Te desejo
Sorte
Pirangí lembra na Redinha sonhar
Araçá dos deuses,  Zumbí e Punaú.
                                                        Segredo de Búzios no amanhecer de  Muriú .


      💐💐💐

 DAS MARGENS DO POTENGI.

A flor rega e vive fétida lama.
e do amor reza a viva chama.
Íntimo aplauso dos corações,
encantado pulsar é sobrepor.
Pôr do sol jazz solamente só
no estio das tardes de verão.
Nas margens vida do Passo
da Pátria, rua do Rio Potengi.
  
As dores regam infecta flama
no susto do fazer gol é assim.
A galera passeia lá na Rampa,
e cola é escola do faltar mais
comida para quem já precisa.
Esmola não, vem não resista
Nos areais do Mangue e Maruim
sabor de tiros - todos mortais.
  
A magia existe latente sangue
recantos do Canto do Mangue.
A pobreza se faz tão presente
nas vielas, casas dessa gente
das margens do rio da cidade,
que cospe, bebe e contamina.
Fio e gotas d’água que minam
lágrimas de mágoa no Potengi .

      💐💐💐
  
CANTUS DO MANGUE

Junto do rio e perto do mar,
a flor nasce linda sina
Moleques nos sonhos da idade,
o espinho germina e contamina.
São precárias condições de vida,
impostas da Cidade do Sol.
Subdesenvolvida era,
e idade da luz pelo ar.
Desnutrição nos rostos dos seres.
Marginalização nas favelas.
Celas junto às margens do rio
são taperas simples para se ver.
Gotas de Sangue no Potengi.
Passos e tiros de morte.
Vil corte e mais um pária.
Violência insana no Passo da Pátria.


No Canto do Mangue,
aqui se guarda o pôr do sol
nas patas dos caranguejos. 
Na espera dos barcos reluzem
os peixes, sustento que são
alegria, às vezes, em algum desejo.
E nos beijos da mulher,
sonhos de um dia azul,
e que não sejam o tom da fome.
No olhar da tristeza sem nome,
pálido viver - moleque nu.
No leque dos problemas banais,
canto da cidade, recanto do rio.
Cio da favela da maré dos pantanais
de tantos problemas sociais
para pessoas simples demais.
  
Alerta da vida e dos seres
nos recantos do canto do rio.
No porto da saudade e dos sonhos
 - Cantus do Mangue.
Mangue do seu espanto,
e regue no canto do cio da cidade
a busca infinda da mínima felicidade,
normal para todo ser humano,
e difícil de colher nos planos
da vontade sifilítica da política atual.
Para este tristonho cenário letal,
nas caladas da Cidade do Sol,
que venham luzes de forte vida – Natal.
Precisa-se buscar a alegria do homem
como ponte do viver cidadão.
E que se faça ato de mudar.
  
      💐💐💐
  
DOS BAIRROS DE MINHA CIDADE
    
Natal
Na minha cidade Natal
As Quintas ou sextas-feiras flui a flor
Seja lá como for das Rocas fui até Santos Reis
E assim nasceu a Ribeira e muito depois a Esperança
 E a Cidade Alta logo em Grande Ponto virou
E depois da ponte de Igapó um pó de areia da Redinha
Eis a Nova Natal, Gramoré, Pajuçara, tudo Potengi 
Panatís por um triz, quase fui seu morador
Mas, quando vi o Morro Branco fiz uma Nova Descoberta
Potilândia, Mirassol, Neópolis tudo é Lagoa Nova
No Barro Vermelho que brotou da Lagoa Seca
O cheiro do Alecrim no Tirol chegou
Careca de saber que morro por ti Ponta Negra
Quando versejando o Forte encanto de uma terra
Sou Satélite na nossa cidade Natal
Nossa Senhora da Apresentação
A riqueza de tanta beleza
É o coração da cidade
Seu povo, sua gente
Que urgente
Deseja e espera o nascer da mágica felicidade.




Nenhum comentário:

Postar um comentário