SETE MULHERES ♣ 2ª edição • COM HELEN • ELIETE • MICHELE • HILDA • VERA • MAGMAH e LÍGIA


DESTINO

sigo meu destino
eu e minha alma
resquícios do sopro divino
no santuário dos átomos
e das nuvens fugidias

uma jornada sem guias
por desertos sem fronteiras
vago as noites e os dias
em vão tateando paredes
de histórias alcoviteiras
buscando aplacar a sede
na harmonia dos abraços

num sonho contumaz
ouço os passos
deixados no tempo
- ecos longínquos -
de vidas sedentas de paz

se estou predestinada
é somente a ser livre
para seguir na alvorada
o rastro prateado da lua
e a estrela suicida
que me mostre o itinerário
de uma terra prometida.


HELEN PRIEDOLS


TRANSPARÊNCIA

Atrás dos cílios reside uma dor
Perpétua, cruel
Um pouco de tudo em cada segundo
Um vazio difuso, fundo sem fundo

Aqueles balões não me dizem nada
Azuis, deslizam no céu
E o menino e o sorriso infinito
E as canções que calam meu grito

Atrás das roupas reside uma dor
E outra dor e uma mais, na epiderme
Nos pulmões mudos, nos gestos confusos
Vielas e muros
  
Aqueles balões não me dizem nada
Incólumes, deslizam no céu
E o menino e o sorriso infinito
E as canções que abafam meu grito.


MICHELE PORTUGAL


DEZ CHAMAMENTOS AO AMIGO

Se te pareço noturna e imperfeita
Olha-me de novo. Porque esta noite Olhei-me a mim, como se tu me olhasses. E era como se a água Desejasse
E deslizando apenas, nem tocar a margem.
Entendo que sou terra. Há tanto tempo
Espero
Que o teu corpo de água mais fraterno
Se estenda sobre o meu. Pastor e nauta
E mais atento.
beijo teu pescoço, inalo teu cheiro 
Quando preciso harmonizar meus pensamentos,
é no teu peito que encontro repouso 
Quando sinto frio,
agasalho-me em teu abraço para me aquecer 
Quanto estou longe de casa,
é dentro do teu corpo que faço morada
Quando estou frágil,
bebo o mel dos teus beijos para me fortalecer
Quando me vejo perdida,
é no teu olhar que regresso à vida
Quando não há bons livros para ler,
poemo nossa história
para não esquecer o quanto amo você!

Escapar de sua casa que é o rio
Te olhei. E há tanto tempo
Olha-me de novo. Com menos altivez.


HILDA HILST


POESIA

Escreverei poesia quando não estiver com sono...
Será um poema cheio de esplendor como
os olhos amarelos de gatos
quando refletem a luz do sol do meio dia...

Será um poema sem sono como um festejar
de flores no jardim e frutas
maduras saciando o paladar...

Será um poema de cantoria porque
estarei desperta e terei passarinhos
na garganta!

Não será um poema de cansaço
como agora estou...

Será um poema de versatilidade,
aquele poema pra que leiam quando
estiverem acordados e quando a lua
não for diferente, mas sim lua de calor,

lua cheia iluminando a rua, você. passando
toda nua e ninguém achando que você
saiu de uma taberna embriagada...


VERA ROCHA


NIRVANA

Teus lábios, em perjúrios e gemidos,
Versejam como em forma de oração.
Descerram-se as cortinas da libido,
Tu unges minhas curvas com tuas mãos.

Calor do ventre teu nas minhas ânsias
Inflama nossos corpos que se arvoram,
Envolvem-se e preenchem reentrâncias,
E em êxtase teus beijos me devoram.

Os músculos que moldam tua nudez
São másculos, são fortes, sumarentos.
Me guardas e eu sei que não te cansas

Dos frêmitos e abraços sonolentos.
Ao fim dessa sublime e insana dança,
Repousas em tua plácida altivez!


MAGMAH


MEU MUNDO É VOCÊ 

Quando desejo sentir o melhor dos perfumes,
beijo teu pescoço, inalo teu cheiro
Quando preciso harmonizar meus pensamentos,
é no teu peito que encontro repouso
Quando sinto frio,
agasalho-me em teu abraço para me aquecer
Quanto estou longe de casa,
é dentro do teu corpo que faço morada
Quando estou frágil,
bebo o mel dos teus beijos para me fortalecer
Quando me vejo perdida,
é no teu olhar que regresso à vida
Quando não há bons livros para ler,
poemo nossa história
para não esquecer o quanto amo você!



ELIETE MARRY


ELE BEIJOU A MINHA MÃO

Ele beijou
a minha mão
E eu senti o céu
no meu coração
Minha pele arrepiou
Se fez sofreguidão
Então ele sorriu
No exato momento
que o meu olhar
o dele encontrou
Fez o tempo parar
Quando voltei à
sentir o meu
coração pulsar
Ele partiu
Sem perceber
que em meu
coração
ele ficou
Ele beijou
a minha mão.


MARIA LÍGIA CAVIGLIONI


Um comentário: