SATURAÇÃO ♣ DONIZETE GALVÃO


No círculo que a xícara de café
deixa desenhado no pires,
o grão amargo do equívoco.
O olhar preso, a vida presa.
Ânsia que confrange os ossos.
Ninguém atura o risco do cerco.
Ninguém sai dele de mãos vazias.


DONIZETE GALVÃO


Do livro O Homem Inacabado (2010) 

Nenhum comentário:

Postar um comentário