POETA DE OURO • 1ª EDIÇÃO

Nesta edição com a participação do Poeta natalense ROBERTO NOIR

Márcio Roberto Paulo Do Nascimento é o nome de batismo do poeta ROBERTO NOIR. Nascido em Natal-RN, formado em Filosofia pela UFRN em 2008. Possui três opúsculos de poemas publicados e vendidos de forma independente: Fragmentos de Ébano (2010), Les Femmes (2011) e Versos diversos (2012). É membro da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins-RN desde Março de 2010 e foi o 1º Secretário desta instituição no biênio 2011-2012. Apreciador de arte, filosofia e literatura, dedica seu tempo livre para apreciar poesia, música, artes visuais, cinema, animes, séries e videogames. Acredita que as pessoas possuem a capacidade para viver de forma autônoma, sem a existência de um Estado e/ou um ser superior e metafísico para lhes dizer como viver, assim como acredita que as artes e a filosofia são os caminhos mais curtos para a iluminação do ser.  ROBERTO NOIR é um POETA DE OURO...

LETARGIA (IN)FINDA

Nada mais há neste espaço
Até mesmo o tempo é escasso
É tão monótono este momento
É como ficar estático ao relento

Nem mesmo a impermanência é absoluta
Uma ideia enlouquecedora e absurda
Do alto, não se ouve absolutamente nada
E muito menos do interior da terra abrasada

Se não há pensamento, não há existência
Afirmar do contrário seria demência
É um momento bastante silente
Pois não há sequer um ser vivente!

Eis então, a revelação do fim da vida!
Enfim, chegou o momento da ida!
Porém, verifica-se que não há (via)
Apenas uma inconstante e indelével apatia!
  
      💐💐💐
  
NATASHA

Há anos que te conheço
Ouço a tua voz em meus sonhos
O que faz com que, invariavelmente
Eu sinta cada vez mais desejo.

Ver- te caminhar sob a luz do crepúsculo
Apreciar o tom de tua pálida tez
Banhada pala débil luz do rei moribundo
Só faz aumentar minha obcessão lasciva

Será que não consegues ver
Que tu és o meu mais íntimo
Desejo de luxúria que reside
Em meu âmago desesperado?

Por favor, deixe-me sentir teu perfume secreto
Permita-me morrer à noite em teu tálamo
Para que eu possa no arrebol renascer
Com a alma renovada pela conjunção carnal!

Só assim poderei mais uma vez
Sentir a felicidade sensual
Da qual o meu gélido corpo
Sente falta, ó sensual dama!

S’il vous plait, ma femme! Écouter moi!
Sei que tu padeces do mesmo mal que eu
Um mal que nos atormenta nas horas tardias
Então! Ponhamos um fim nisso de forma ardorosa!
  
      💐💐💐

 OPRESSÃO

Ó pobre e inocente ser pensante
Que não tem paz em sua solidão mental
É atacado por um inimigo pujante
Que investe com um ódio mortal!

Que transcendentalíssimo mistério metafísico!
Ser violentado de forma onírica!
A dor existe mesmo sem o corpo físico
Deixando a alma famélica e raquítica!

Em vão tu tentas defender-se vigorosamente
Tentando impor o medo, sendo o algoz
Contudo sabes que não controlas tua mente
E a tua angústia torna-se cada vez mais atroz!

E assim prossegue o nefasto tormento
Acompanhado de nênias tristes e diversas
Uma vez mais é ouvido o melancólico lamento
De um cândido ser vítima de almas perversas!
  
      💐💐💐
  
PORTADORES DA LUZ

Templos tentam alcançar as alturas
Usando escadas feitas de sofismas
Enquanto que os pedestais da cultura clássica
São escondidos dos que serão dominados!

Procuramos a verdade ao olhar para o céu
Onde só enxergávamos as mentiras contadas
Tentamos voar mas cortaram nossas asas
E nos condenaram a uma idade das trevas!

Semearam a dúvida, o medo e a dor
Para colher agonia, tristeza e submissão
Mas a colheita produziu frutos indesejados:
A revolta e a vontade de se libertar!

Aqueles que buscam portar a luz
Distribuindo-a para a humanidade
Ressuscitaram o espírito racional
Que foi crucificado para não mais renascer!

Desde então há uma incessante batalha
Entre celestiais da mentira e abissais da sabedoria
Mesmo o exército das alturas sendo mais numeroso
Escolhi a pequena porém verdadeira tropa das profundezas!

      💐💐💐
  
SACERDOTISA

O perfume permanece mais enebriante
Que todo e qualquer incenso
As palavras enlouquecem, retiram
Todo e qualquer bom senso

As esculturas respiram, tão vivas
Quanto aquela que preside a cerimônia
O ritual prossegue, tão místico,
Esplendoroso, luxuoso, sem parcimônia

A luz se infiltra, iluminando
A misteriosa figura de uma deusa
As libações prosseguem: símbolos
E um pequeno altar sobre a mesa

Os sortilégios! Todas as orações!
Todos os elementos purificam o ambiente
Os deletérios! Todos destruídos!
Criminosos que corrompiam a mente!

A benção enfim! A tão esperada benção!
O amuleto mergulhado n’água santa
Um pequeno brilhante no centro
Que a todos fascina e encanta!

Um ósculo delicado para encerrar
Porém esse término é uma ilusão
Pois o rito prosseguirá incessantemente
No interior de um arcano coração!
  
      💐💐💐
  
SUCCUBUS

Todo dia é dia de batalha
Aquela imagem que me atrapalha
Eu finjo que isso não existe
Aquela preocupação que persiste...

Existe alguma outra forma de se evitar?
Poderia fechar meus olhos sem hesitar?
Parece que não sei como não me importar

A imagem turva torna-se visível
Meu sofrimento torna-se previsível
O mundo dos sonhos não é tão seguro assim
Cada vez mais ela se aproxima de mim

Como se vence algo intocável?
Como tornar minha vontade inabalável?
Apenas sei que não é saudável

Poderia fugir, mas ela iria me alcançar
Poderia gritar, mas ela iria me calar
Poderia voar, mas ela iria me derrubar
Poderia enfrentar, mas ela iria me derrotar...
  
      💐💐💐
  
UM PASSEIO NO BOSQUE DAS MUDANÇAS

Os pássaros cantam belas sinfonias
Desde o momento em que o sol aparece
Com a felicidade são estabelecidas mil sintonias
E então o luto interior desaparece

O vento frio que sopra incessantemente
Leva as pétalas mortas para o céu
Há de imediato um frescor na mente
Da boca desaparece o gosto de fel

Das árvores brotam frutos saborosos
Capazes de alimentar qualquer alma
Não há mais pensamentos rancorosos
Só uma silente e sutil calma

Contudo algumas cicatrizes ficaram
Os passos ainda estão um tanto hesitantes
Muitas lágrimas ainda não secaram
Ainda restam soluços suplicantes

Sumirá todo e qualquer sintoma
Não haverá melancolia que me toque
Quando sentir o doce aroma

Das flores que adornam este bosque

Um comentário: