POEMAS ERÓTICOS ♣ 4ª EDIÇÃO


O CAMINHO DO PECADO

E se à noite ofertar-me de presente
O mistério do amor que tens guardado?
Ficaria até mais tarde acordado
Explorando o teu corpo docemente.

Se a libido estourasse de repente
À procura do atalho do pecado
Eu confesso estaria extasiado
A beijar o teu sexo tão fremente.

Pelas linhas da curva sinuosa
Do teu corpo o meu corpo também goza
Desnudando o que fica no caminho.

Se me entregas também toda a tua alma
Num suspiro a paixão nos pede calma
Se rendendo de vez ao desalinho.

ADILSON COSTA


A LUA TESTEMUNHA DOS AMANTES

Em pleno luar
Praia deserta
O mar areia
Oh! tudo embelezando
Esse momento de
Pura purpurina
mãos procurando algo, beijos ardentes bebendo da fonte do prazer,
O mar testemunha fotografando os amantes ao anoitecer.

JUSSIARA SOARES



TEUS CAPRICHOS...

Sinto minha pele
Arder com o simples indício
De te querer
Minha mente divaga
Na ânsia incontida
De provar teu gosto
Meu desejo atiça 
Com a expectativa
Do seu toque sentir 
Me levando a suspirar
Na vontade de
Com carinho te tocar
Minha boca espera
A tua receber
Quente, molhada e atrevida
Para no meu corpo
Se perder
A sensação de delírio
Domina meu ser
E me faz ceder
Aos teus caprichos
Obedecer sem questionar
Apenas para ver
Teu olhar brilhar
Na prévia satisfação 
Da necessidade perene
Que emana de ti
Na insana volúpia 
De querer satisfazer
Todo teu prazer...

ELAINE SANTOS



INVERSÃO DE PAPÉIS

Sou escravo: admito
Servil vassalo teu
Arremedo de Orfeu
No inferno interdito
Reverto o jogo: faço
Da senhora, serviçal
Submissa, afinal
No pescoço, um laço
Alternando escravidão
Um e outro: chicote...
Algemas, lamber o chão... 
Mestre sou: no teatro
da paz, faço boicote
Imponho: "De quatro!"

CEFAS CARVALHO



ela viu o meu sonho:
camisola preta sobre
pele transparente
auréolas áureas
em seios em ânsias
púbis abissal
balsâmico cais de ais!
glúteos máximos glutônicos
a tara untada de glutões
e... uma brisa pela janela.
nunca mais saiu da minha memória.

JOSÉ SÓTER




TEU CORPO NU

o melhor papel
para escrever
poesia com a boca

GONZAGA NETO




MANHÃ CARMIM


Teu e meu corpo ao gozo suado
Vedado o pudor entre nós
A sós vertendo energias
Magia em ousado contraste
Amar assim faz parte
Artes da minha língua em ti
Tua língua também em mim
Manhã de gozos sem fim
Espantando qualquer coisa ruim
Nós amamos nesse antro carmim
Nós amamos sob branco cetim
Nós amamos eu pra ti, tu pra mim
Quem quiser que ache bom
Pois é bom demais sim!

RICARDO MORAIS



teus passos de água pintam o chão da cozinha e me servem de caminho até você. sem pressa, passeio pelo corredor observando as pernas imberbes que se mostram no espelho à meia-luz. as ondas dos teus cabelos são nascentes de perdição. um rio deságua entre as dunas que te pertencem. o cheiro de umidade não vem do tempo lá fora. encharco-me. sinto o gosto do sal.

GONZAGA NETO




Nenhum comentário:

Postar um comentário