Pai • Valdeci Almeida



Olhos nos teus olhos
E vejo um caminho

Por ele um menino que vem
Na metade do século vinte
Do norte de Minas
Para o sonho de uma vida melhor
No sul do país

Na babagem,
Entre o pouco estudo
Proporcionado pelas circunstâncias da existência,
A força do herói
Lenhador
Lavrador
Sonhador

Beija-flor

"Moreninho apaixonado
Encontra sua flor
Da primavera"

E do amor por correspondência
(Correspondido)
Vinga o enlace matrimonial

Desabrocha  quatro vidas
E uma heróica lida
Para lhes sustentar

Catolico fervoroso
Homem integro
Incansavel trabalhador
Nada deixa faltar

Olhos nos teus olhos, pai
E no descerrar das tuas pálpebras
O findar do caminho...
Mas não a comporta à lágrima
De emoção
Do dever cumprido
A contento...

Não se preocupe, meu pai
Neste ponto
Meu coração se faz ponte
Para que essa cadeira de rodas
Permita-lhe atravessar
Ao abraço

De agradecimento.


Valdeci Almeida

Nenhum comentário:

Postar um comentário