MAR NA ALMA ♣ PAULA BELMINO


Maresia
mar,
mareia.

Borbulhas,
brumas brancas de amor
são a alma da sereia.

É de seus olhos
o choro marino,

ondas que vão e vêm,
beijam a areia,
a maré cheia.

E sua alma é saudade,
mareja.
Chora o anseio de voar 
e em noite de lua cheia,
ser estrela do céu 
e não sereia.


Paula Belmino


Um comentário:

  1. Olá, muito obrigada pelo carinho e pelo apoio em divulgar no seu lindo site minha poesia, o desejo de meu coração de expressar em singelos versos minha alma poeta!

    ResponderExcluir