LONGE VAI O CAVALEIRO

Um poema de JOSÉ DE CASTRO


Longe vai o cavaleiro
Cruzando sete lagoas
Num galope bem ligeiro
O alazão alegre voa.

Cavalgando a lua cheia
Tine os cascos no cascalho
Mais de meia-noite e meia
Madrugada e orvalho...

No galope da esperança
Cruza rios e montanhas
Na poeira das lembranças
As saudades são tamanhas.

Traz um riso de criança
Põe os olhos na estrada
Com firmeza ele avança
Procurando sua amada

Sol se põe no horizonte
Com um brilho multicor
"Lá por trás daquele monte
Estará o meu amor?"

E então responde o vento:
- Como é que saberei?
E, num suave lamento,
diz apenas:  - Eu não sei...

Nenhum comentário:

Postar um comentário