LINDA BABY

de PEDRINHO MENDES

Por ADÉLIA COSTA - Impossível publicar poemas em homenagens à cidade do Natal e não incluir Linda, baby. Fazendo 30 anos agora no mês de outubro, a jovem senhora, Patrimônio Imaterial da cidade pela Câmara Municipal de Natal,  continua sendo sucesso até os dias de hoje, pela sua poeticidade e por fazer tão bem a declaração de amor que todo potiguar gostaria de fazer à sua terra mãe. A sua musicalidade é gostosa e, ao ouvi-la, cria-se no imaginário as imagens evocadas, a tal ponto que aflora o desejo de conhecer a tão bela cidade, uma vez que faz um convite: “Venha pois não dá prá dizer tudo no papel”.

O compositor e cantor de Linda, baby, Pedro Mendes nasceu em Parnamirim, mas foi criado pelas ruas e ladeiras do Bairro Vermelho. Atualmente, foi “ver outras paisagens”, pelas bandas do Goiás e reside em Pirenópolis. Sempre que necessário, vem matar a saudade de sua cidade de coração. Agora, em outubro, inclusive, teremos uma programação em homenagem ao poeta cantor Pedro Mendes, a qual funcionará como uma despedida. Considerado hino não oficial de Natal, Linda, baby, faz parte do LP Esquina do Continente, gravado no ano de 1987 e serve de inspiração aos poetas e demais artistas. Alguns dos poemas publicados durante essa última semana do mês de agosto, inclusive, fizeram alusão à música.

A Revista de Ouro sente-se honrada pela participação do grande compositor, músico, poeta e pai Pedro Mendes em suas páginas. Gratidão, poeta Pedro Mendes.
Imagem • LenilTon Lima
Essa é uma terra de um deus mar
De um deus mar que vive para o sol
E esse sol está muito perto daqui
Venha e veja tanto quanto pode se curtir

Linda terra para a mãe gentil
Belo cai o sol sobre esse rio
E esse rio também está perto daqui
Venha e veja tanto quanto é o nosso Potengi

Sempre que estiveste por aqui
Não observaste o nosso ser
Nem aproveitasse o lindo olhar ao céu
Venha pois não dá pra dizer tudo no papel

Curte-se aqui ao natural
A natureza espalha o nosso chão
Estou cantando a terra que é o meu viver
E acontece que eu estou cansado de dizer

Que aqui não tem a avenida São João
Nem o mesmo padrão que se tem por aí
Coisas que não tem em todo o canto não se deve exigir
Isso é Natal ninguém se dá muito mal

Como dizem pessoas quase sem se sentir
Linda baby,baby linda,volte sempre aqui.


2 comentários:

  1. Belo texto de Adélia Costa, disse muito sobre esse grande artista e sobre sua bela poesia. Parabéns, a Pedro Mendes e parabéns Adélia Costa.

    ResponderExcluir
  2. Um fecho de ouro para essa série de homenagens à Cidade do Sol, esta Linda Baby. Parabéns à Adélia pelo belo texto de apresentação desse belo poema, dessa bela canção... Muito linda, mesmo!

    ResponderExcluir