LEONINO

Um poema de FLÁ PEREZ
Arte digital • Radyr Gonçalves

Um leão, juba ao vento,
passeia, lento.

Patas seguras
pisam minha areia macia.

Súbito,
o selvagem tateia,
agarra minhas pernas
por baixo da saia.
A língua felina me tonteia,
lambe minha praia.

Onde ele passa
me deixa marcada
e a onda de desejo
não  apaga.

- Ai, Leão, que pegada!

Imprudente, me atiça.

- Cuidado, Leão,
que sou movediça.


Nenhum comentário:

Postar um comentário