INSULAR

Um poema do Poeta brasiliense RADYR GONÇALVES

... Há uma represa de inspiração nos olhos das pessoas
Na esmeralda do olhar contemplativo
Na aldravia enferrujada – no cimo do passado

Há muito ouro nos seios das poesias perdidas
Há um tesouro oculto no culto silencioso da moça
Na ânsia do cavalo está à pressa pelo descortinar do destino

... No caminho do vento estão os fragmentos do futuro

Quando setembro chegar quem sabe serei berilo
Pó – música de lembrança de alguém

Há muitos mistérios nos vãos de uma mente inquieta
Há muitos elos, pouca sorte, muitas setas

Não há quinina que cure minha febre
Tenho uma dor que ninguém sabe
Uma alma insular – um corpo que persiste
A planar diante das birutas...
Mesmo sabendo que os ventos não me levarão a lugar nenhum...


Nenhum comentário:

Postar um comentário