AMOR, DE TARDE

Um poema do uruguaio MARIO BENEDETTI
O poeta MARIO BENEDETTI é um dos maiores nomes da poesia Uruguaia do século XX, e um dos grandes nomes da poesia em canto castelhano. Vale a pena procurar conhecer seu livro mais famoso "Poemas de Oficina". Além de poesia, sua obra remonta mais de 80 livros entre poesia, romance, conto e ensaio.

É uma lástima que não estejas comigo
quando olho o relógio e são quatro
e acabo a planilha e penso dez minutos
e estiro as pernas como todas as tardes
e faço assim com os ombros para afrouxar as costas
e dobro os dedos e lhes tiro mentiras.
É uma lástima que não estejas comigo
quando olho o relógio e são cinco
e sou um punho que calcula interesses
ou duas mãos que saltam sobre quarenta teclas
ou um ouvido que escuta como late o telefone
ou um tipo que faz números e lhes tira verdades.
É uma lástima que não estejas comigo
quando olho o relógio e são seis
podias aproximar-te de surpresa
e dizer-me: Como vais? E ficaríamos
eu com a mancha vermelha de teus lábios
tu com a marca azul de meu carbono.

(Tradução de Maria Teresa Almeida Pina)

Nenhum comentário:

Postar um comentário