A VERVE LÍRICA

Da Poeta mineiraTEKA ROGEL 

NAQUELA MESA!

Em um gesto de pura repetição
sentei-me naquela mesa e....
Revivi, repensei, repesei, concluí.
Revivi, as imagens gravadas na memória
a ardência cravada no peito
o cheiro forte do amor!
Repensei, a cadencia mágica dos corpos
o atrito da cama desfeita
o sabor do café da manhã.
Repesei, como escrever a partitura 
se não sei dar sons à sinfonia?
Como interpretar minha história
se o teatro está vazio?
Como tecer minha teia 
se sou apenas um fio?
Concluí, que meus temores crescem
como ervas daninhas à beira do rio
no louco segredo das águas,
náufragos_ na vaga ideia da dor!



Abre tuas mãos poeta
nelas colocarei
fragmentos de cristal,
colhidos em minhas andanças,
nas noites em que 
me julgava perdido.
São raros cristais, lavados
nas águas do teu mar.
O vento que era teu
trouxe-os ao meu encontro,
recolhi-os, e os devolvo
para que tu possas uni-los
e ao faze-lo, fazer-te inteiro,
pois fazem parte de ti!


Amigo, disseste-me assim,
santa!
E meus ouvidos ouviram,
santa!
Minha voz e meu ser repetiram,
santa!
Mil pesos, mil angústias
Mil imagens, mil desejos,
mil mortes.
Mil vezes me  vestistes
Mil vezes me despistes
Mil vezes me elevastes aos céus
Mil vezes a terra me recebeu.
Mil vezes meu grito
explodiu no peito,
santa!
Sublime paradoxo.
Louco...nem sabes ,
quantos demônios habitaram
em mim!



2 comentários:

  1. Bravo... bravíssimo!!!Lindos poemas!!! Grande... sensível e sábia poetisa!

    ResponderExcluir
  2. É para ler várias vezes e aplaudir de pé !

    ResponderExcluir