O caminho para continuar na Antártica • Bernadette Mayer


Seja forte bernadette
Ninguém jamais saberá
Eu vim aqui por uma razão
Talvez haja uma vida aqui
De não ter medo de seu próprio coração batendo
Não tenha medo do seu próprio coração batendo
Olhe as coisas minúsculas com seus olhos
& mantenha-se aquecida
Nada lá fora pode te curar mas tudo está fora
Há uma grande vergonha para o mundo em saber
Que você pôde ter ido tão longe
Talvez seja por isso que você ame tanto a presença de outras pessoas
Talvez seja por isso que você aguarda tão impacientemente
Você não tem mais nada a ensinar
Até que não haja mais pânico em saber de sua própria real existência
& então apenas o especial riso infantil a ser mostrado
& sem mais mentiras sem mais
Não a te encontrar não
Mais voltar & mais retornos
Viagens austrais
Pequenas coisas & não meus próprios escombros
Algo a se lutar contra
& somos todos fluentes sobre nós mesmos
Nossas próprias ideias sobre comida, um molho selvagem
Não há muita razão em terem acabado: mas não falamos deles:
Eu escrevera: “o homem que costurou suas solas de volta aos seus pés”
Então entrei em pânico pelo som do que o vento poderia fazer
Comigo
Se eu rastejasse de volta à casa, dois pés não dão posição, se
Os galhos estalados sobre minha cabeça & a sua ameaça sobre mim, se eu
Cobrisse meu rosto com cerveja & suasse até sua volta

Se eu sofresse que mais poderia fazer

Nenhum comentário:

Postar um comentário