Este não é um tempo poético • Radyr Gonçalves


Este não é um tempo setembro – notívago
Passarinheiros passarão despercebidos
Os girassóis ficarão esquecidos
Os barcos morrerão no cais...

Este é um tempo deserto – só em si
Paul Valery dorme nas estantes
E a primavera é uma estação desconhecida

Os rudimentos da inspiração
O fruto, a maçã, a mulher, a flor
Dormem no silêncio dos vitrais

Este é um tempo morto – mochos dirão!
Carpideiras entregues as moscas
Sonetos desfolhados – versos insones

Este não é um tempo de poesia
Apesar das pessoas andarem tão sensíveis.

Radyr Gonçalves


Nenhum comentário:

Postar um comentário