1ª Coletânea - Mulheres da SPVA - Vestidas de Poesia


DILEMÁTICOS MEDOS
OZANY GOMES
-

Passou pelos meus olhos
Dilatando minhas pupilas,
Cintilando minha íris
Invadindo minhas retinas...
Preparou uma tempestade de lágrimas
Que caíram como chuva,
Você não as ouviu cair?

Meus sonhos preenchidos por estrelas
Produziam sons
Que aos meus ouvidos acariciavam
Com segredos incontáveis
Numa viagem pela tempestade
Que não deixou rastros.

Tentei prestar atenção no caminho
Mas, a tempestade impedia
Formando uma flutuante lamina d’água
Que aos meus olhos confundia
Agora, só me resta aprender a navegar
Nesse mar de sonhos
Dos meus dilemáticos medos.

*****

DESABAFO DAS MARIAS
ELIETE MARRY
-

Algumas têm crises de ciúmes com razões,
Outras já choraram, implorando por certos amores,
Eu mesma já quis casar de branco e chamar alguém de
Meu amor.
Há as que gostam de desfilar de mãos dadas,
Mesmo tendo vivido noites traiçoeiras.
Uma deita e não dorme, mas acorda com sua cama vazia.
Tantas passam fome por amores, não por falta de comida, mas por delas ser tirado o alimento.
Já vivi uma maternidade, pós-parto sozinha.
Nós, as Marias já amamos tanto, mas também sofremos  até aprender, sem querer que tudo um dia irá passar,
Que amar é um desencontrar do outro
até que esse outro aprenda a nos amar e nós aprendamos pela dor a desamar.
Os que ferem costumam esquecer com que lança nos acertou, mas quem sentiu a dor sempre sentirá o sangue jorrando das malditas lembranças, jamais esquecidas.

*****

MULHERES
JÂNIA SOUZA
-
Anjos em perfume permanente
na borda do berço de seu rebento
com lágrimas tecem a felicidade
longínqua esperança na cama da dor
que traz com seus dias o canto do amor.
Fadas, feiticeiras, magas, sacerdotisas
parideiras da palavra no verbo carne
predestinam com seus fios de sonhos
os passos vacilantes e engatinhantes
de homens e mulheres na tessitura
da vitória de novos sóis da raça humana.
Mulheres! Vós sois doces baladas de ternura
sussurro de ondas de mar no canto da alcova
flores de amor espalhadas na estrada da vida
alento constante que apazigua a ira do homem.

*****

INSPIRAÇÃO
CLÉCIA SANTOS
-
Vou permanecer ninfa,
 incrustada, lenta e aprendiz.
Petrificar o que fui
Pensar o que desejo
Inspirar-me no silêncio
Para que um dia,
Talvez, torne-me livre...
Voar, luzir, encantar, ser lua,
Tornar-me borboleta e poesia.

*****
DESABAFO DO ASSÉDIO
INGRID RIBEIRO
-
Helena foi explorada,
Milena maltratada,
O assobio do "homem"
Tornou a Vitória violentada!

Olívia
O-pri-mi-da
Suzane subestimada, assediada,
mal vista, amordaçada, desprezada,
machucada, diminuída.

O repúdio à violência hedionda do 
estupro, tem que ser acabado.
A mulher não é saco de pancada de   "machistas" desgarrados.

Isabel,
é  a mulher que foi ignorada,
destituída,  enganada,
destratada, calada  e torturada.

Nós fomos humilhadas e subtraídas...
Repúdio à falta de carinho, respeito e amor.
Repúdio ao silêncio que circunda a violência contra a mulher.

Na exata razão das atrocidades  dos acontecimentos o coração, dilata-se  em dor, em lágrimas.
Eu preciso ser mais amada!

*****

ENTREGA
NILDINHA FREITAS
-

Mostra-me o que tem na sua mala,
Se é um livro de poesia,
Ou é a sua autobiografia.

Mostra-me o que tem ai dentro,
No seu pensamento:
É sorte, amor e vida,
Ou é morte e lamento?

Mostra-me a sua cara,
Não cubra mais o seu rosto,
Diga-me para que veio,
E deixe de alvoroço.

*****

HOJE...
LARISSA FERNANDA
 -
"Hoje eu só quero escrever sobre coisas de amor,
Coisas que inspire esmero desejo
E saltem do meu âmago até o papel.
Hoje eu só quero sentir o olor do teu beijo,
Efeito do calor que ameaça a lucidez.
Hoje eu só quero exagerar na simplicidade,
Espojar-me na arte de poder ser eu:
Sonhadora, amadora
Ou amadora sonhadora.
Hoje é o amanhã tão surpreendente,
Inefável sua lábia de envolver nesta dança,
Uns pés cansados que o tempo esqueceu de levar."

*****

PONTE PARA O INFINITO
ERILVA LEITE
-
O amor é a única ponte
entre o abismo da existência
e o infinito
em cujo precipício
somos arremessados
em sua finitude - caímos extasiados
fitando o brilho das constelações.

***** 

PAI
(Para o meu pai)
EVA POTIGUAR
-

Meu pai me ensinou a cor do amor
A cor feita de lágrimas e dor
Não poupou tintas dessa aquarela
Humildade foi sua tonalidade mais bela
Ele se esqueceu de dizer
Que Amar também é padecer
Mas hoje eu lhe compreendo
Que só sabe o que é amar, vivendo.
Obrigada meu pai amigo
Você hoje Ainda está comigo
Ensinando essa arte da vida
De amar mesmo de Alma ferida
Quem nos trata com tanta maldade
Mas sem medo, vencerei a tempestade
Posso dizer que tenho um anjo
Que zela por mim e seca meu pranto
Eu que deveria te proteger
Desta vida de eterno perecer
Tuas mãos me guiam em oração
E nessas horas, embala meu coração.
Nessa tua canção de esperança
Me sinto aquela mesma criança
No teu colo caloroso de pai
Segura sem querer nada mais
Só me resta a Deus te louvar
Por seres para mim, exemplo de amar.

*****
  
AMOR COMPRADO
RITA ANÁLIA DA SILVA PEREIRA
-
Nesse mundo de ilusão
Todo sentimento tem um valor
Se não tem um preço seu coração
Mas tem um preço seu amor.

Amor passageiro e comprado
Só com a garantia de um momento
Nenhum sentimento comparado
Só comparado com o sofrimento.

O sofrimento de estar sempre a espera
De um alguém a quem vender seu amor
A vida de sentimentos falsos você supera
Nada nos ensina mais do que a dor.

Essa vida é um jogo
Que quem ganha mais joga melhor
Supere-se que isso é uma prova de fogo
E quem não sabe jogar leva a pior

Nesse mundo de ilusão
Onde o sentimento é negociado
Seja fiel ao seu coração
Que o seu valor não será comprado.

*****

DESCORTINAMENTOS
ADÉLIA COSTA
-

Os teus personagens hoje,
Esqueceram as tuas viagens
Miragens...
Para comigo falar!
Tiraram tuas máscaras,
Entregaram os teus palcos...
Disseram-me que em teus parágrafos,
Havia menos verdade  que numa ficção..
Impossível verossimilhança...
Teus personagens estavam cansados
De tanta prosa...
Não queriam mais tuas glosas
Nem tuas conversas longas
Querendo ser clássicas histórias!
As tuas letras sem rima,
De caligrafia tortuosa,
Os deixaram em colapso.
Desejam distância...
Aposentadoria!
Não compor teus cenários!
Querem mais nenhum laço...

*****





4 comentários:

  1. Tudo feito por Radyr Gonçalves tem gosto de poesia e encantamento. Feliz em fazer parte deste seleto grupo de mulheres que escrevem.

    ResponderExcluir
  2. Muito obrigada, Radyr Gonçalves! Amei! Compartilhei. Parabéns pelo excelente espaço.

    ResponderExcluir
  3. Tudo lindo!!!! Parabéns Radyr pela ideia! PARABÉNS mulheres da SPVA!

    ResponderExcluir
  4. Maravilhoso, menino Radyr! Gratidão!

    ResponderExcluir