Tecendo a vida - Eva Potiguar


Teci minhas rendas de alegria
Para me vestir nua de covardia.
Pintei meu céu de esperança,
Para chover com minha criança.

Não desenho velhas mímesis
Quero montanhas íngremes.
Salto de meus ais e talvez
Para sangrar e rir outra vez.

Declaro não saber a verdade
Minha bússola é sangue e carne.
Rendo-me em arte e loucura
Para arder na poesia que me cura.
 -

Eva Potiguar

Nenhum comentário:

Postar um comentário