Poetar - Nair Damasceno


Lágrima que alivia a dor,
Água que a sede sacia,
Brisa que acaricia a face molhada de suor,
Calmaria.


Asas que me permitem voar,
Porta por onde passo,
Trilha onde caminho,
Ninho,
Vereda que me transporta a todos os lugares.


Canto suave,
Meu porto de chegadas e partidas,
Minha essência refletida.

Aroma suave de jardim,
Encontro,
Despedida,
Princípio,
Fim.

-
Nair Damasceno



Um comentário:

  1. Surpresa e feliz; ver meu poema publicado na REVISTA DE OURO é uma áurea homenagem. Meu poema não é mais só meu, é nosso.

    ResponderExcluir