O Risco - Nildinha Freitas



Eu fiz um traço
Eu fiz um risco em uma folha em branco.

A folha em branco
A folha branca
Minha vida.

O risco
O traço
Meus planos.

Tracei um caminho
Resolvi seguir.

O traço
O risco
Virou laço
Enlaçou de vez.

Não recordo o que projetei 
Acreditei no risco
No traço 
Esperei que se inventassem, 
Reinventei.

O traço que tracei, 
Não seguiu só.
O risco que risquei, 
Não foi pra onde mandei.

O traço ganhou outro traço, 
Virou outro risco, 
Outro laço, de aço. 

No traço
No risco
Na folha 
No verso
No reverso

Refiz
Recriei 
Vivi 
Fui feliz
Sou feliz

Chorei
Sorri 
Amei e amo

Nos braços me enlaço!
-
Nildinha Freitas

5 comentários:

  1. Bela poesia de Nildinha. As alterações fluem leves, num contexto totalmente existencialista. Amei!!!

    ResponderExcluir
  2. Bela poesia de Nildinha. As alterações fluem leves, num contexto totalmente existencialista. Amei!!!

    ResponderExcluir
  3. Ligação da forma definida do traço com a indefinição do risco. Belo!!!!! Parabéns Nildinha.

    ResponderExcluir