Juras - Radyr Gonçalves de Araújo


Nosso amor em um carrossel de versos
Você contando os cavalinhos
Como se eles se multiplicassem...

Fim de tarde incandescente
E eu escrevendo nas pedras promessas quase bíblicas...

Juro pelo suprassumo da poesia
Pelo verso de fazer girar o mundo
Pela cadência do sopro que balança o berço
Pelos girassóis albinos dos quintais inventados
Que para sempre te amarei

... Sentados na beira da praia do mar
Enumero juras contadas em conchinhas
Projeto castelos de mármore intransponíveis
Fortes protegidos por querubins e dragões

Juro pelo mais belo soneto de Florbela
Pelo eco açucarado das vozes das sereias
Pelos portais místicos que se abrem sempre às seis
Que te amarei agora e outra vez

Quando a semente aflorar em outra estação da eternidade. 

-
Da Série Amor rima com dor

Radyr Gonçalves de Araújo
© Todos os direitos reservados

5 comentários:

  1. Sempre gostoso ler suas poesias! E essa com humor e com amor! Hummm tudo de bom!

    ResponderExcluir
  2. Sempre gostoso ler suas poesias! E essa com humor e com amor! Hummm tudo de bom!

    ResponderExcluir
  3. Lindo, nosso amor e nossas juras...

    ResponderExcluir
  4. "Pelos girassóis albinos..."
    Isso é lindo.

    ResponderExcluir
  5. Radyr, o mais querido dos Poetas, singular.
    Amo seus escritos repletos de poesia.
    Poesia esta que exala o perfume puro d’alma
    e nos aquece.
    Sempre fã!
    ��������������������

    ResponderExcluir