Fados - Ezequiel Francisco


O grito das gaivotas
Calam no nosso olhar...
Que fado tem o nosso olhar?
Fado ou destino
Está escrito nestas paredes,
Na palma das nossas mãos
Como na tinta desta caneta...
A vida corre como rio entre fráguas
E o vento segue o destino
No meio de nossas mágoas.
Será que no destino
Está escrito as nossas mágoas?
De que se fará o nosso destino?
E os nossos olhares?
Será que se expandem
No grito das gaivotas?
Ou será nas derrotas
Onde o destino nos leva
Forçando o leme
Enquanto a alma treme
E se esfuma e apaga
Como a tinta desta caneta!

-
Ezequiel Francisco 

Nenhum comentário:

Postar um comentário