Você precisa conhecer a poesia de Roberto Noir


A KISS INSIDE A CANVAS
-
Apesar de ter sido um tanto sutil
Seguiu-se uma risada tão bela e sonora
Como se houvesse bebido do néctar da alegria
Saído de uma fonte levemente amarga

Muitos não se importariam jamais
Com um momento tão efêmero
Pois suas mentes preocupam-se com o material
Desprezando as valorosas miudezas da vida

Porém em um singular fechar de retinas
Um delicadíssimo toque de lábios
Onde não se distinguem nem sexualidade nem gênero
Foi pintada uma cena renascentista

Em um museu com centenas de lembranças
Há para ela um lugar especial
Para ser admirada constantemente
E para sempre ser considerada clássica

E mesmo que o autor da obra pereça
Para sempre ela será preservada
Pois a essência do amor com que foi feita
Fundir-se-á com o infinito do cosmo!


-

ALICIA
-
Uma doce e metafísica criatura
Que reside no abstrato mundo das ideias
Num estado vegetativo, eternamente estática
Esperando inutilmente por uma luz

Será que este pequeno e gentil ser
Outrora correu alegre pelas planícies?
Foi acariciado pelo bondoso sol primaveril,
Encantou-se com o esplendor do plenilúnio?

Será que um dia ela quebrará
Este ciclo interminável de apatia?
Por enquanto lá ela permanece
Com suas frágeis mãos no peito

Congelada para sempre estás
No eterno tédio do ato de não ser
Tua doce alma vagando pelo vazio
Atormentando a minha débil existência

Tu estás devidamente protegida
Num esquife etéreo que para ti criei
Estarás para sempre sepultada
No mausoléu do meu anêmico coração!...

-

FOME
-
Tenho uma infindável fome de infinito
Pois dele muito tempo permaneci separado
A ele quero estar novamente amalgamado
Deixando de ser este ente restrito!

-

HELENISMO
-

Sob os auspícios desta negra noite hecatiana
Sentindo deveras a alva ausência de Selene
Fui visitar os domínios marítimos de Poseidon
Tentando vivenciar empiricamente a ataraxia de Epicuro!

Deitei-me no tapete de areia, fechei os olhos
Relaxei meu corpo, respirava de forma vagarosa
Tentando encontrar aquela tão procurada dama
Porém só consegui avistar o irmão siamês da morte!

Levanto-me! Decepcionado, principio a caminhar
Seguindo o fluxo do rio que sempre muda
Já não sou mais o mesmo de alguns instantes
Certas estão as palavras daquele pré-socrático!

Inevitável lembrar do que disse que nada sabia
Aquele que negou o oráculo de Delfos
Afirmou que era ignorante, distorceu a realidade
Pois sábio é aquele que dissipa as brumas do falso saber!

Estou alucinado! Visualizo aquelas belas colunas
Jônicas, Dóricas, os templos e também a ágora
Raiz de uma democracia que não era para todos
Algo que de forma bizarra persiste hodiernamente!

Por isso desejo ficar só! Mas sempre fracasso
Aristóteles diz que é impossível meu intento
Pois não sou animal e certamente não sou um deus
Apesar de possuir diversas partículas de ambos!

Desisto! Sinto-me fulminado por Zeus!
Tamanho esforço que resultou em nada
Lembro-me amiúde da vasta obra platônica
E vejo que meu projeto só existe no mundo das ideias!

Assaz ridículo! Tanta jactância transformada em tristeza
Certamente é algo que é bastante comum
Pois um antiquíssimo e penoso esforço hercúleo
Perece nas sorumbáticas praias da estupidez contemporânea!

-

MÁS LEMBRANÇAS

Quando eu me levanto
Todo dia o sol já o fez
Nunca mais me espanto
Com esta sensação ruim

Sempre irei me lembrar
A ferida vai sarar
Meu corpo está aqui
Meu coração, no passado

A noite é pior
Dependendo da estrada
Percorri quilômetros
E isso não levou a nada

O tempo é meu inimigo
Ainda estou em perigo
As estrelas testemunharam meu crime...

Procurei por distração
(Eu e minha omissão?)
Apenas tentava ser feliz
Como eu sempre fiz

Intensas como o vai e vem do mar
Discretas como o ato de respirar
Elas estão aqui e não sei quando irão

Más lembranças....

-
Roberto Noir



MÁRCIO ROBERTO PAULO DO NASCIMENTO é o nome de batismo do poeta ROBERTO NOIR. Nascido em Natal-RN, formado em Filosofia pela UFRN em 2008.2. Possui três opúsculos de poemas publicados e vendidos de forma independente: Fragmentos de Ébano (2010), Les Femmes (2011) e Versos diversos (2012). É membro da Sociedade dos Poetas Vivos e Afins-RN desde Março de 2010 e foi o 1º Secretário desta instituição no biênio 2011-2012. Grande apreciador de arte, filosofia e literatura, dedica seu tempo livre para apreciar poesia, música, artes visuais, cinema, animes, séries e videogames. Anarco-socialista, acredita que as pessoas possuem a capacidade para viver de forma autônoma, sem a existência de um Estado e/ou um ser superior e metafísico para lhes dizer como viver. Acredita também que as artes e a filosofia são os caminhos mais curtos para a iluminação do ser. 


Um comentário:

  1. Nosso poeta-filósofo que tece os seus poemas com maestria, muitas das vezes me perco cirandando em seus escritos, ja que por lê-los tanto, sinto-me em casa,envolta de seus signos linguísticos e sua forma peculiar de ser, escrever e encantar!

    ResponderExcluir