A genial poesia de James Joyce


COLUNAS EVOCADAS

As letras do mundo tornaram-se etéreas.
Serifas de mármore, sólidas hastes
Erguidas nas rochas e postas nos ápices
Ascenderam como as colunas na história
Da casa da Virgem, que ascendeu ao céu
E pousou no alto da colina em Loreto.
Elevei o olhar num delirante credo
E vi o que subsiste à tradução fiel.

-

CHUVA CONGELADA

Reduzo a cascata a um candelabro, fios
De luz, ossos descarnados pelo gelo
Que se refazem nas bandagens de vidro
E, onde o lago age como nível de bolha,
Guardo bolsas de ar para que a lontra viva.
Aumento uma a uma as lâminas de grama
Com brotos, chuva congelada e sincelos,
Polegar, dedos que apontam o degelo
Derretem, entre o lábio e a língua, até o âmago
Enquanto o vento toca órgão nos ramos.


James Joyce

Nenhum comentário:

Postar um comentário